ABTP Inspired Sketches

A inspiração é o voo da escrita

Dom de escrever não é um escrever profissional, mas um ato quase amador. Quase porque, no fundo, há o desejo de ser lido, apreciado,e ter seus livros vendidos.

 

O escritor que escrever por puro dom - enquanto ele se sente escrevendo assim melhor dizendo - é geralmente inspirado. Parece que escreve somente por inspiração. Não.elabora muito antes, pois é tomado por uma energia peculiar, algo que parece ser o condutor do processo de escrita, que é, antes, processo físico levado adiante pelos processos anímicos.

Quanto vale uma inspiração?

 

Dom, na verdade, é inspiração. Alguém precisa inspirar-se primeiro antes de escrever nesse caso. Porque o dom se dá primeiro na inspiração. Pode ser que venha do pai que pode estar aqui ou ali, mas, na realidade, está presente. É a força do pai que impulsiona a alma do filho, diz a Chassidut já que o filho tem a oportunidade de realizar alguma coisa que o pai não o fez por alguma razão.

Vale dizer que presença se sente mesmo que não se faça presente fisicamente como todos sabemos. Se alguém apenas imaginar o pai a seu lado, ele ali estará porque a mente tem poder presentificador, quer dizer, parece atrair energias que descem feito luzes sefiróticas.

Inspiração é força de atração

Escrever por inspiração é tomar de assalto um teclado de um iPad como estou fazendo agora. Não havia um propósito especificamente até pegá-lo e ir para o editor de texto, nada que quisesse alcançar, tampouco algo previamente pensado para ser atingido, mas uma volúpia gostosa, uma sensação de liberdade, como um voo de asa delta, ou de pegar uma onda como faz o Medina. O sentido está no ato de descobrir as palavras, as frases, o significado que pode nascer do dom ou da inspiração. 

Pensar o que escrever, neste caso, seria como quebrar o encanto. O que faz descobrir outra possibilidade: escrever por inspiração ou por dom é como estar encantado, atraído para viver o que o espírito vos fala, porque neste caso eu sou ele, a quem o espírito fala. 

A multiplicidade de "eus" não é prerrogativa de quem escreve por inspiração, contudo há uma profusão de sensações que sobem à superfície e inundam o ambiente, a própria atmosfera na qual o pranto, a dor, a alegria e a excitação podem assomar. 

Dom é algo que não cabe muita explicação. Se sente e se faz. Mas ainda assim para ser expresso precisa de uma encarnação inteligente. O homem que tem um dom - e cada um tem o seu - precisa se envolver com a ação, com a realização de seu dom. Assim ele é pura inspiração que todo pai gostaria de ver no seu filho. 

 

Que tal conhecer os tipos de caráter do Eneagrama sob um prisma cinematográfico? Envie seu email e baixe o ebook grátis!


Na página de confirmação você verá o link para baixar o ebook.