exprimir o inexprimível

Exprimir o inexprimível

Existe algo maior que a própria vida? Quero dizer, do que senti-la?

O ato parece mais forte porque ele transforma sentimentos e sensações em realidades quase palpáveis. O que dizer do ato de escrever senão trazer à realidade o concreto para o instante?

 

Viver é um ato constante de transformação; De um ato a outro vamos indo e caminhando a algum lugar. Na alma gravamos a própria vida, o próprio ato. Percebemos o valor de transformar a vida em algo bom, muito melhor do que antes. Essa é uma chance para realizar o ato que forma nossa realidade.

Receber para dar pode ser a tradução disso. O que D-us nos oferece é a chance, a oportunidade de realizar o ato, de viver, de construir uma realidade plena e harmônica em que o espiritual e o físico se unifiquem numa coisa só.

Fazer acontecer também entra nessa linha. É preciso transformar sentimentos e sensações em realidade palpável e com sentidos. O que vem do Alto são eflúvios encantadores que nos elevam para um patamar mais propício à receptividade de elementos espirituais que transformamos em materialidade. Ou, numa linha chassídica, elevamos a um grau acima a materialidade dando sentido ao que experimentamos na realidade.

Falar é fácil, fazer é que o difícil. Mas devemos lutar para tornar exprimível o que não conseguimos formular muito em palavras. Realizar o ato da transformação requer a nossa vontade e disposição, exige que nos coloquemos disponíveis para receber o que do Alto vem para nos oferecer sentido.

Escrever tem essa magia por que é um ato mágico. Não há ato sem a magia de receber e dar a beleza da vida, os sentidos que formam o pensamento, o calor que ronda o coração, e a luz que brilha da alma.

Quando realizamos alguma coisa que nos dá sentido, que mostra o inexprimível sendo expresso por formas concretas de pensar e sentir, nos tornamos um com o D-us Acima e nada mais pode nos parar.

Escrever é só mais um ato do capítulo de vida de cada um. Escrevemos com várias tintas e formas também. Não precisa ser literalmente como estou fazendo aqui. Pode ser enfrentando um trânsito tenebroso na metrópole enfurecida. O ato está vivo em qualquer lugar em que tenhamos posto a nossa vontade e disposição.

O caminho construímos fazendo cada um o que nos cabe fazer. Mas é preciso agir, não podemos ficar parados achando que está tudo pronto. Um ato seu pode trazer um mundo muito melhor. Isso faz toda a diferença no mundo. Acredite!